Dia Mundial das Abelhas: conheça 7 curiosidades sobre esses insetos

  • Post category:Mídia

Em 20 de maio se comemora o Dia Mundial das Abelhas. E elas merecem um dia especial: afinal de contas, esses pequenos insetos também são responsáveis pela nossa sobrevivência. “Preservar as abelhas é preservar o meio ambiente, a produção de alimentos, a economia sustentável e a vida da humanidade”, resume Rodrigo Durieux da Cunha, coordenador de apicultura na Epagri.

Venha descobrir 7 curiosidades sobre as abelhas:

1 – Elas ajudam a garantir a vida no planeta

As abelhas prestam um serviço fundamental para a humanidade e a biodiversidade, pois são responsáveis pela polinização de aproximadamente 73% das plantas no mundo.

2 – Elas são parceiras da agricultura

Sem polinização, não temos produção de alimentos. Em Santa Catarina, o impacto econômico da apicultura vai muito além da produção de mel. Ele se reflete no ganho de produtividade de culturas como maçã, pera e ameixa, graças ao trabalho de polinização das abelhas.

Com o serviço de polinização, as abelhas têm participação em grande parte da produção de alimentos

3 – O Brasil tem mais de 1,5 mil espécies de abelhas descritas

Embora a primeira imagem que muitos têm de abelha seja da espécie africanizada, a Apis melífera, o Brasil conta com mais de 1,5 mil espécies descritas. E são as abelhas nativas sem ferrão as principais polinizadoras das matas brasileiras, contribuindo com a reprodução de 30% a 80% das espécies de plantas, dependendo do tipo de bioma.

4 – É possível criar abelhas sem ferrão

Em Santa Catarina, a meliponicultura, que é a criação racional das abelhas nativas, vem se popularizando na agricultura familiar com apoio da Epagri. A Empresa desenvolve diversas ações para a preservação, o manejo e a multiplicação das espécies sem ferrão, em um trabalho que resulta, anualmente, na introdução de milhares de abelhas nativas no Bioma Mata Atlântica. Já são aproximadamente 6 mil famílias rurais catarinenses que têm na meliponicultura uma fonte de renda complementar.

A meliponicultura, ou criação de abelhas nativas, é uma alternativa econômica sustentável

5 – Abelha não produz só mel

Criar abelhas ainda se destina à produção de própolis, pólen, geleia real e apitoxina. Esses produtos servem de matéria-prima para as indústrias farmacêuticas, alimentícias e cosméticas e geram renda para milhares de famílias apicultoras.

6 – O néctar não é a única matéria-prima do mel

Um exemplo disso é o mel de melato da bracatinga. Ele é resultado de um fenômeno que ocorre somente em anos pares no Planalto Sul brasileiro: é quando um inseto chamado cochonilha se alimenta da seiva da bracatinga, deixando no tronco um líquido adocicado, o melato. Com ele, as abelhas produzem um mel único, mais escuro, menos doce que o mel floral e com propriedades medicinais. Em 2021, o mel de melato da bracatinga do Planalto Sul brasileiro conquistou uma Indicação Geográfica (IG).

O líquido excretado pela cochonilha quando se alimenta da seiva da bracatinga é usado pelas abelhas para produzir o mel de melato

7 – Em Santa Catarina, as abelhas produzem mais de 100 tipos de mel

O estado possui uma grande diversidade de plantas e tipos de solo, e, consequentemente, de composição do néctar. Isso possibilita que as abelhas produzam mais de 100 tipos de méis silvestres com cor, aroma, sabor e consistência diferentes.

Para saber mais sobre a apicultura catarinense, clique aqui.