Produção de pêssego cresce em Santa Catarina

  • Post category:Mídia

Santa Catarina deve produzir 11% a mais de pêssego na safra 2021/22, resultado do ganho médio de 15% na produtividade obtido nas duas safras anteriores. Segundo a Epagri/Cepa na safra 2020/21 o Estado, que é o terceiro maior produtor de pêssego do país, produziu mais de 21.500 toneladas da fruta, um aumento de 8,4% em relação ao ciclo agrícola 2019/20.

Produção catarinense de pêssego deve crescer 11% na safra 2021/22 (Foto: Aires Mariga / Epagri)

Os dados são do Projeto Integrado sobre Estudo de Indicadores Regionais e Levantamento e Monitoramento da Fruticultura Catarinense (EIRLM), do qual o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) faz parte. No final do ano passado os integrantes do projeto concluíram o levantamento da fruticultura de clima temperado na safra 2020/21.

De acordo com Rogério Goulart Jr. Analista da Epagri/Cepa, para se fixar como terceiro maior produtor de pêssegos do país, Santa Catarina conta com 1.222 hectares de pomares da fruta, o que representa 7,8% da área nacional. O Estado catarinense produz cerca de 17.446 toneladas de pêssego, que representam 8,6% da produção total do Brasil. “Em 2020 o estado apresentou aumento de 0,6% em relação a 2019, depois de passar por reduções na produção entre as safras de 2017/18 e 2018/19”, relata o pesquisador da Epagri/Cepa.

Santa Catarina conta com mais de 570 produtores de pêssego, distribuídos em cerca de 70 municípios. A produção estadual de pêssego e nectarina inicia em outubro e se estende até fevereiro do ano seguinte, mais de 75% dela está concentrada em novembro e dezembro. A região do Alto Vale do Rio do Peixe, no Meio-oeste, representa mais de 80% da produção de pêssego e nectarina em Santa Catarina, seguida do Sul Catarinense, com mais de 6% do total.

Produção no Brasil

Em 2020, o Brasil produziu cerca de 201,8 mil toneladas de pêssego, aumento de 10,5% em relação a 2019. Antes disso, o país enfrentou reduções na produção de 12,3% e 16,8%, entre 2017/18 e 2018/19. O ano de 2017 foi o que obteve a maior produção brasileira da fruta, com mais de 250 mil toneladas. O Rio Grande do Sul participa com 64,2% da produção nacional, seguido de São Paulo com 16,6% (IBGE).

Em 2021, foram comercializadas nas centrais de abastecimento do país mais de 21,2 mil toneladas de pêssego, com valor negociado de cerca de R$ 190 milhões. O pêssego de origem catarinense, que participava com 5,6% do volume comercializado nacionalmente em 2019, ampliou sua participação no ano seguinte para 8,8%, com mais de 3,1 mil toneladas, e até novembro de 2021 já representa 7,2% do volume total brasileiro nas centrais.

No ano passado Santa Catarina comercializou mais de 1,5 mil tonelada de pêssego no atacado, o que representa mais de R$ 10,6 milhões. Os preços negociados no mercado de atacado estão 5,7% valorizados em relação a novembro de 2020 e 17,1% acima da média dos últimos cinco anos. Para a safra 2021/22, a expectativa é de aumento na comercialização da fruta catarinense e maior ganho com a valorização dos preços da fruta no mercado.

Veja, na reportagem da TV da Epagri, como é feito o raleio de pêssego: