Epagri realiza abertura da safra de maracujá, nesta terça, 21

  • Post category:Mídia

Na terça-feira, 21, a Epagri promove em Sombrio a IV Abertura da Colheita do Maracujá e Dia de Campo sobre a cultura. A atividade acontece a partir das 8h15min, na Propriedade de Douglas Machado Nunes, comunidade Santa Fé.

Santa Catarina deve colher 45 mil toneladas de maracujá na safra 2021/22 (Foto: Aires Mariga / Epagri)

A programação começa com a visitação das quatros estações do Dia de Campo: demanda hídrica e sistemas de irrigação no maracujazeiro; manejo da adubação para alta produtividade; diagnóstico e estratégias de controle para mosca do botão floral do maracujazeiro; vazio sanitário e monitoramento de resíduos de agrotóxicos. A solenidade de abertura da safra 2021/22 está marcada para às 11h30min e terá a presença de prefeitos, secretários municipais de agricultura, presidentes de cooperativas e outras autoridades e lideranças do setor.

Previsão de safra

Segundo Diego Adilio da Silva, extensionista da Gerência Regional da Epagri em Criciúma e Líder Projeto Fruticultura na região, Santa Catarina deve produzir 45 mil toneladas de maracujá na safra 2021/22, o que corresponde a uma produtividade média de 25 toneladas por hectare, numa área de produção de 1.800 hectares. Os números representam uma produção dentro da normalidade para o Estado.

Assim como na safra passada, a produção de maracujá neste ciclo agrícola está enfrentando alguns entraves climáticos: frio tardio, radiação solar e número de horas de luz abaixo daquilo que a planta requer. “A Epagri está tentando criar tecnologias e manejos que antecipam a produção principalmente para dezembro e janeiro, quando os produtores podem obter melhores preços, mas devido a esses fatores climáticos, vamos ter uma produção um pouco mais tardia em volume de colheita nesta safra”, explica o extensionista.

Doenças e pragas também são motivo de alguma preocupação para os produtores. Diego explica que a virose do endurecimento do fruto vem sendo menos agressiva e relegada a segundo plano entre as preocupações dos produtores, porque, com o vazio sanitário e a produção de mudas em ambiente telado, é possível contornar e conviver com a doença. A verrugose, que é uma doença causada por um fungo, vem atrapalhando um pouco os pomares, mas com a tecnologia disponível ela vem sendo bem contornada. “O maior problema é a mosca do botão floral”, esclarece ele .

Para discutir formas de monitoramento e sugestões de controle para pragas e doenças do maracujazeiro, a Epagri realizou recentemente um encontro técnico. Diego informa que a Estação Experimental da Epagri em Urussanga já vem trabalhando no monitoramento da mosca do botão floral e os picos de ocorrência da população, “mas ainda é preciso avançar e ver se isso se repete ao longo dos anos”, esclarece o extensionista. Não há produto registrado no mercado para conter essa praga no maracujazeiro. Todos os estudos estão atrelados à melhoria da regulagem de pulverizadores e dosagem de volume de calda.

Futuro

O que a Epagri projeta para o futuro é a definição de um sistema de produção integrada de maracujá em Santa Catarina. O sistema de produção integrada, que já é utilizado em outras culturas no Estado, principalmente no tomate, objetiva a produção ecologicamente correta, socialmente justa e economicamente viável, por meio do emprego de boas práticas agrícolas. O alimento obtido desse sistema é passível de ser certificado como seguro, bem como é possível garantir sua rastreabilidade ao longo da cadeia produtiva.

Outra preocupação da Epagri é manter a qualidade do maracujá catarinense, que é reconhecido como o melhor maracujá de mesa do Brasil em decorrência de seu tamanho, volume de polpa e outras características. Isso é o resultado de um manejo recomendado pela Epagri e aplicado pelos agricultores, de selecionar as melhores e mais bonitas plantas e frutos de uma safra, que vão dar origem às sementes da próxima safra. Diego explica que esse trabalho garante a contínua elevação da qualidade do maracujá catarinense.

Serviço

  • O que: abertura da safra do maracujá e Dia de Campo
  • Quando: terça-feira, 21 de dezembro, a partir das 8h15min
  • Onde: em Sombrio, na Propriedade de Douglas Machado Nunes, comunidade Santa Fé.
  • Informações e entrevistas: Diego Adilio da Silva, Líder Projeto Fruticultura da Epagri na região (48) 99912-3009

Informações para a imprensa
Gisele Dias, jornalista
(48) 3665-5147 / 99989-2992

Depois da entrada da virose do endurecimento dos frutos, produtores adotam novas tecnologias para produzir as mudas de maracujazeiro. Conheças na reportagem da TV da Epagri as principais práticas utilizadas no campo.