Governo do Estado oferece linhas de crédito especiais para minimizar os efeitos da estiagem no meio rural

  • Post category:Mídia

Desde 2019 Santa Catarina registra chuvas irregulares e grandes períodos de seca, principalmente na região Oeste. Para minimizar os prejuízos no campo, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, oferece linhas de crédito especiais voltadas à captação, armazenagem e distribuição de água.

Estado planeja investir R$ 1,7 bilhão até 2022 para ampliação da infraestrutura hídrica e preservação de mananciais (Foto: Divulgação/ Comitê de Bacia Hidrográfica de Chapecó)

“O Governo de Santa Catarina têm diversas iniciativas para diminuir os impactos causados pela estiagem. Nosso plano é investir R$ 1,7 bilhão até 2022 para ampliação da infraestrutura hídrica e da preservação de mananciais para tornar nosso estado mais resiliente a períodos de pouca chuva”, explica o governador Carlos Moisés.

O secretário da Agricultura, Altair Silva, reforça que o objetivo é preparar melhor os produtores para enfrentar os períodos de estiagem. Por isso, os programas da pasta são focados na recuperação de nascentes e na reserva de água nas propriedades. “Estamos oferecendo financiamentos com juro zero, além de outras linhas com subvenção dos juros, o que dá ao produtor a oportunidade de fazer investimentos permanentes para reduzir os impactos da estiagem”, destaca.

Água para Todos

Com o Água para Todos, os produtores têm acesso a financiamentos sem juros para construção de sistemas de captação, armazenamento, tratamento e distribuição de água, com a finalidade de dessedentação humana e animal e irrigação. Os investimentos podem ser individuais, em um limite de R$ 40 mil por família, ou coletivos, de até R$ 200 mil, com cinco anos de prazo para pagar. As famílias em situação de vulnerabilidade social e renda terão condições diferenciadas.

Cultivando Água e Protegendo o Solo

A Secretaria da Agricultura possui ainda outra linha de crédito sem juros para apoiar as ações de isolamento e recuperação de mata ciliar, proteção e recuperação de nascentes, terraceamento e cobertura de solo. O Cultivando Água e Protegendo o Solo traz financiamentos de até R$ 15 mil, com cinco anos de prazo para pagar e cada parcela paga em dia terá um desconto de 30%.

Segundo o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo, os sistemas de captação e conservação de água se tornaram fundamentais para os estabelecimentos rurais devido à escassez de água. “Esses investimentos são essenciais, especialmente para o produtor que se dedica à avicultura, suinocultura e pecuária leiteira. Temos visto que, a cada ano, crescem as dificuldades para obtenção e reservação de água para dessedentação de pessoas e dos animais”, ressalta.

Investe Agro SC

Para buscar um volume maior de recursos, os produtores rurais podem recorrer ao Investe Agro SC. Nesse programa, a Secretaria da Agricultura oferece a subvenção aos juros de financiamentos contratados com agentes bancários, em um limite de até R$ 100 mil, com oito anos de prazo para pagar e subvenção de juros de até 2,5% ao ano.

Acompanhamento do Governo do Estado
O Governo do Estado acompanha de perto a situação no meio rural catarinense. Desde a reformulação dos Programas, o secretário Altair Silva tem visitado os municípios e realizado encontros com lideranças do setor produtivo para orientar e reforçar a divulgação das novas linhas de apoio aos produtores rurais.

Estiagem em Santa Catarina
Segundo informações da Epagri/Ciram, das 34 estações hidrológicas de monitoramento de nível de rios no estado, 20 apresentam situação de estiagem. A previsão para os meses de maio, junho e julho é de chuva abaixo da média histórica devido à atuação do fenômeno La Niña.

Orientações básicas para os produtores
A Secretaria da Agricultura recomenda aos produtores rurais que procurem apoio nos escritórios municipais da Epagri. Os técnicos poderão orientar quais práticas, tecnologias e políticas públicas podem ser aplicadas para minimizar os prejuízos e enfrentar os períodos de pouca chuva.

É importante também que os agricultores acompanhem as previsões metereológicas da Epagri/Ciram e façam o planejamento para ampliar a reserva de água no solo ou em cisternas.

Informações adicionais para imprensa:
Ana Ceron / Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996