Chegou a hora de investir na captação e preservação da água

  • Post category:Mídia
Conservar e recuperar as matas ciliares é uma das recomendações da Epagri para preservar água. Foto: Aires Mariga / Epagri

Desde o novembro voltou a chover em Santa Catarina e a previsão é de chuva acima da média para o verão. Com isso, o cenário no meio rural catarinense vai voltando à normalidade, depois de sofrer com a maior estiagem que atingiu o Estado desde 1957. Apesar da relativa tranquilidade, a Epagri permanece atenta, monitorando níveis de chuva e de rios em toda Santa Catarina, a fim de manter a população rural e urbana bem informada sobre o andamento da situação.

Nestes tempos de chuva, a Epagri recomenda aos agricultores que invistam em preservação de solo e água, a fim de estarem preparados para enfrentar os próximos períodos de estiagem sem grande sofrimento. Conheça as políticas públicas e orientações técnicas para minimizar impactos de falta de chuva no meio rural catarinense.

Políticas Públicas

Nos próximos meses os produtores rurais catarinenses ainda poderão acessar vários programas, para investimentos em captação, armazenamento e distribuição de água. O acesso a cada um dos programas varia conforme o enquadramento do agricultor, e o interessado precisa consultar o extensionista da Epagri em seu município para saber qual o mais adequado ao seu caso.

Menos juros
Limite de até R$50 mil por família. Governo subvenciona 2,5% dos juros ao ano por até 8 anos. Todos os municípios contemplados. Beneficiários: agricultores familiares com Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

Irrigar
Limite de até R$30 mil por família. Governo subvenciona até 4,6% dos juros ao ano por até 8 anos. Todos os municípios contemplados. Beneficiários: agricultores familiares e demais produtores com renda bruta anual de até R$415 mil.

Menos juros emergencial
Limite de até R$100 mil por família. Governo subvenciona 2,5% dos juros ao ano por até 8 anos. Somente para municípios com decreto de emergência por conta da estiagem. Beneficiários: produtores rurais que comprovem ao menos 50% da renda bruta familiar oriunda da agricultura.

Água para todos
Limite até R$ 25 mil individual e R$50 mil coletivo. Prazo de pagamento de 36 meses, sem juros. Beneficiários: agricultores familiares com DAP.

Projeto especial para famílias em situação de vulnerabilidade social e de renda
Limite até R$10 mil individual e até R$45 mil coletivo. Prazo: 5 anos de prazo para pagar, sem juros. Somente para municípios com decreto de emergência por conta da estiagem. Beneficiários: Famílias do meio rural catarinense, preferencialmente cadastradas no CADUnico e que tenham renda familiar bruta de até R$50 mil ao ano.

Projeto Especial de Atendimento Emergencial aos Produtores de Bovinos de Corte e Leite
Limite de até R$ 10 mil por família. Prazo: quatro parcelas anuais, sem juros, a primeira para 30 de abril de 2022. Somente para municípios com decreto de emergência por conta da estiagem. Beneficiários: agricultores familiares com DAP ativa, que sejam produtores de leite e/ou gado de corte, com renda bruta anual de até R$180 mil por família. Demais produtores que tenham enquadramento no Pronaf, exceto quanto aos quatro módulos fiscais, que sejam produtores de leite e/ou gado de corte, com renda bruta anual de até R$180 mil por família.

Recomendações técnicas

Em tempos de muita ou de pouca chuva, os técnicos da Epagri recomendam na rotina de seu trabalho práticas conservacionistas de solo e de água que são fundamentais para ajudar o agricultor a atravessar momentos de estiagem.

Sistema de Plantio Direto de Hortaliças (SPDH)
Desenvolvido em Santa Catarina, o sistema é baseado no uso permanente de cobertura do solo e na redução substancial até a eliminação do uso de agroquímicos, visando a promoção da saúde da planta e, consequentemente, do solo e da água. A cobertura de solo aumenta a umidade e a capacidade do solo de armazenar água e diminui a evaporação, entre outras vantagens.

Proteção de fonte modelo Caxambu
Além da colocação ordenada dos materiais na fonte previamente limpa, o modelo tem como importante diferencial a proteção do entorno, que deve ser isolado com cerca e mantido com vegetação para garantir a qualidade da água captada. Dependendo de seu tamanho, é uma fonte segura de água para uma ou mais famílias.

Captação de água da chuva
Consiste na instalação de calhas para captar água da chuva dos telhados das propriedades rurais e armazenar em cisternas. A medida tem se mostrado eficiente, sobretudo para criadores de animais, que conseguiram atravessar a recente estiagem sem necessidade de complementação da água para dessedentação da criação.

Terraceamento
Capazes de proteger a lavoura da erosão nas chuvas intensas e armazenar água no solo para períodos de estiagem, os terraços de base larga já somam cerca de 1.000ha em 80 propriedades rurais do Oeste catarinense. A metodologia introduzida pela Epagri se chama Terraço for Windows, que tem como base a declividade do terreno, a infiltração de água no solo e o histórico de chuvas da região.

Outras orientações
Conservar e recuperar as matas ciliares, praticar a adequação ambiental e recuperar áreas degradadas das propriedades de acordo com a legislação ambiental, promover a rotação de culturas agrícolas, são outras práticas, entre muitas, que a Epagri dissemina, com objetivo de preparar as famílias rurais catarinenses para o enfrentamento da estiagem.

Monitoramento ambiental

A Epagri também realiza o monitoramento de níveis de rios e de precipitação, graças à rede de estações hidrometeorológicas automáticas que opera no Estado. Os equipamentos recolhem os valores medidos nas localidades e os enviam para o banco de dados da Epagri/Ciram. Depois de passarem por uma validação eletrônicas, esses valores são imediatamente publicados no site da instituição, em tempo quase real. Confira os serviços oferecidos:

Nível de rios

Boletim de Monitoramento Hidrológico

Monitoramento de nível de chuva e outras variáveis ambientais

Saiba como construir uma proteção de fonte modelo Caxambu: