Epagri orienta construção de terraços para proteger lavouras da estiagem e da erosão em SC

  • Post category:Mídia
Em 2019, a Epagri beneficiou mais de 250 famílias com orientação e implantação do terraceamento

Uma das missões da Epagri é ajudar os agricultores a cuidar bem da terra para produzir alimentos de forma sustentável. No Oeste Catarinense, o trabalho de conservação do solo e da água ganhou um reforço a partir de 2015 com a prática do terraceamento. Capazes de proteger a lavoura da erosão nas chuvas intensas e armazenar água no solo para períodos de estiagem, os terraços de base larga já somam cerca de 1.000ha em 80 propriedades da região.

Os terraços são estruturas construídas em nível, planejadas de forma a reter a água da chuva dentro da lavoura. Parte dessa água vai para o lençol freático abastecer os mananciais e parte fica armazenada no solo. Cada metro linear de terraço é capaz de receber até 2 mil litros de água – e cerca
de 30% dela pode ser usada pelas plantas em época de seca, mantendo a produtividade mais estável.

A metodologia do balanço de água na superfície do solo introduzida pela Epagri é comumente conhecida como Terraço for Windows. Ela foi desenvolvida pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e validada pela Embrapa de Passo Fundo. Com base em informações como declividade
do terreno, infiltração de água no solo e histórico de chuvas da região, um software ajuda os técnicos a planejar e dimensionar os terraços.

“O caminho é cuidar bem do solo”, diz o agricultor Ademir Teston

A tecnologia deve ser associada a outras práticas conservacionistas, assim como se faz na propriedade da família Teston, em Xaxim. Lá, o plantio direto e a rotação de culturas são praticados há cerca de 30 anos na produção de soja, feijão, trigo e milho, que abrange 40ha.

Em 2019, com apoio da Epagri, a família construiu terraços em 20ha. “Às vezes temos excesso de chuva que provoca bastante erosão na lavoura. Então não adianta investir em adubação, nas melhores sementes, se vem uma enxurrada e leva tudo embora. O caminho é cuidar bem do solo e fazer o plantio direto aliado ao terraceamento”, diz o agricultor Ademir Teston.

Evitando que a água escoe, os terraços permitem que os nutrientes fiquem seis vezes mais concentrados no solo, reduzindo os custos de produção. Ao mesmo tempo, evitam a contaminação de riachos e lagos, preservando a qualidade da água.

Para conhecer essa e outras histórias de sucesso, acesse o Balanço Social 2019 da Epagri.