Publicação da Epagri orienta sobre a adubação da mandioca

  • Post category:Mídia

A Epagri lançou uma publicação que orienta agricultores e técnicos sobre a adubação nas lavouras de mandioca. O “BT 189 – Manejo da fertilidade da mandioca: bases técnicas e manual do programa AdubaMANÍ-SC” traz informações técnicas e práticas para melhorar a fertilidade do solo e, consequentemente, elevar a produtividade dessa cultura.

A primeira parte da publicação trata sobre o manejo da fertilidade e traz um roteiro que ilustra o passo a passo para caracterizar e interpretar a fertilidade do solo, além de critérios que orientam o manejo da adubação nessa cultura.

A publicação traz orientações para melhorar a fertilidade do solo e a produtividade das lavouras de mandioca

A segunda parte do boletim é um manual para o uso do software “AdubaMANÍ-SC”, desenvolvido pela Epagri para quantificar as necessidades de fertilizantes e corretivos na lavoura. “Isso é feito com base na análise de solo e de forma tecnicamente adequada, ou seja, de modo equilibrado, eficiente, socialmente exequível e menos impactante ao ambiente”, informa a publicação. O programa está disponível para download no site da Epagri: https://docweb.epagri.sc.gov.br/pub/AdubaManiSC.exe

Mandioca em SC

Em Santa Catarina, a cultura da mandioca está presente em mais de 60 mil propriedades rurais. A mandioca de mesa, também chamada de “aipim”, é encontrada em todo o Estado, cultivada para autoabastecimento das famílias, alimentação animal, venda in natura e processamento agroindustrial. Já a mandioca de indústria (“mandioca brava”) é fonte de matéria-prima para um importante setor agroindustrial do Estado, que se destaca principalmente pela produção de farinha, fécula, polvilho azedo natural e seus derivados.

No entanto, levantamentos recentes revelam que a produtividade média estadual de mandioca está na faixa de 17t/ha, enquanto a média de alguns países, principalmente os asiáticos, está em torno de 30t/ha. “Os resultados da pesquisa indicam que este objetivo é plenamente possível de ser atingido com os materiais genéticos disponíveis, porém são necessárias a indicação e a adoção de recomendações de manejo da fertilidade mais ousadas, rompendo com alguns paradigmas técnicos e culturais especificamente associados a esta cultura. Só assim será possível elevar a quantidade e a qualidade das raízes produzidas”, defendem os autores do boletim.

A publicação custa R$20. Para adquiri-la, escreva para demc@epagri.sc.gov.br.

Conheça um cultivar de mandioca desenvolvido pela Epagri: