Tarde de campo em Massaranduba aborda o cultivo de tilápias

Foto de Aires Carmem Mariga

Foto de Aires Carmem Mariga

O cultivo de tilápias representa 71% das espécies cultivadas em Santa Catarina, sendo que a distribuição dos piscicultores se concentra no Litoral e no Vale do Itajaí. Em Massaranduba, a piscicultura é uma das principais atividades econômicas: o município o maior produtor de peixe de água doce no Estado, com 1,78 mil toneladas anuais. Lá são mais de 100 produtores que atuam de forma independente ou organizados em uma associação (Apisma).

Os dados obtidos do Desempenho Produtivo da Piscicultura Catarinense em 2015 reforçam a importância do setor e a necessidade de parcerias entre os produtores e a pesquisa para o desenvolvimento de novas tecnologias. Por isso, a  Epagri promoveu no dia 20 de setembro uma tarde de campo na propriedade do piscicultor Marcelo Luchetta, na comunidade Braço Direito, massarandubapara apresentar o trabalho da Empresa no Programa de Melhoramento Genético da Tilápia Gift, sob responsabilidade do pesquisador engenheiro de aquicultura Bruno Corrêa da Silva.

O evento contou com a participação de produtores, técnicos, pesquisadores, representantes de empresas do ramo e secretários municipais de agricultura dos municípios da região. Foram apresentados os dados preliminares do acompanhamento do desenvolvimento da Tilápia Gift Epagri no Sistema Produtivo de Cultivo em Viveiro Escavado, realizado em forma de pesquisa participativa com o produtor Marcelo Luchetta, em uma Unidade de Referência Técnica (URT) implantada na propriedade. A engenheira-agrônoma Tatiane Carine da Silva abordou os aspectos técnicos de produção como: qualidade de água, desempenho zootécnico e custo de produção. Ao final, os participantes seguiram até o viveiro de produção, onde verificaram as condições locais de cultivo e observaram o desenvolvimento dos peixes capturados.

A tarde de campo buscou apresentar os dados parciais do primeiro ciclo de produção da Tilápia Gift Epagri na URT, além de mobilizar os produtores para a importância da pesquisa participativa e do acompanhamento das variáveis de cultivo. Novas ações já estão planejadas para o acompanhamento do próximo ciclo de produção.