Dia de Campo em Anitápolis promove produção de leite à base de pasto

  • Post category:Mídia

Produtores de leite de Anitápolis conheceram as melhores práticas para produção do alimento à base de pasto, no Dia de Campo realizado pelo escritório local em 16 de dezembro. A atividade abordou correção e adubação de solo, implantação de pastagem, higiene na ordenha e ergonomia na atividade leiteira. O local escolhido foi a propriedade da família Eyng, que é uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) da Epagri em melhoramento de pastagem e divisão de piquetes. 

Participantes foram a campo conhecer pastagens implantadas

Além de produtores de leite, também participaram a prefeita e o vice-prefeito, representantes de cooperativas, agropecuárias e outras autoridades locais. O público recebeu orientações das extensionistas da Epagri Maila Berté Volpato e Roberta Inácia Duarte, ambas do escritório de Anitápolis. Elas falaram sobre correção e adubação de solo, higiene na ordenha e qualidade do leite. Os participantes também foram a campo para ver pastagens implantadas e conversar sobre como foi a implantação, adubação e manejo dos piquetes. 

A fisioterapeuta e extensionista social da Epagri em São Pedro de Alcântara, Cassandra Pulceno, palestrou sobre humanização na ordenha. Ela falou a respeito da importância de cuidar das posições de trabalho para diminuir impactos, dores e lesões. Além disso, ensinou alongamentos práticos para serem feitos em momentos estratégicos, recomendando que sejam praticados mesmo com a correria das atividades.

A extensionista Maila Berté Volpato explica que a atividade leiteira é uma importante fonte de renda para muitas famílias rurais de Anitápolis. Mas a atividade exige muita mão de obra e tem custos altos, caso o produtor dependa de alimentos de fora da propriedade. “Dessa forma, é interessante que se trabalhe com produção de leite à base de pasto para diminuir custos, porém, é necessário devolver ao solo os nutrientes absorvidos pela planta. É comum ver análises de solo com baixíssimos índices de nutriente e pH, afetando negativamente a pastagem ou o milho”, contextualiza. 

Maila esclarece que uma amostragem de solo bem feita é o início de um investimento na qualidade da pastagem e do milho silagem, lembrando que erros na amostragem resultam em erros na adubação e, consequentemente, afetam a produção. “A correção e adubação do solo é essencial para o bom desenvolvimento e para que a pastagem possa expressar o máximo da capacidade produtiva, que será convertida em alimento de menor custo e de ótima qualidade”, descreve a profissional. Ela lembra ainda que a higiene na ordenha possibilita um ambiente propício para que o leite apresente boa qualidade, além de trazer melhorias à saúde dos animais.