Jovem agricultor de Araranguá implementa produção orgânica de hortaliças

  • Post Category:Mídia
André aposta na produção orgânica de hortaliças

Próxima à BR-101, no Bairro Santa Catarina, fica a propriedade de André Francisco Oliveira. De dois anos para cá, muita coisa mudou lá no Sítio São José. A área de dois hectares onde o jovem produtor cultiva hortaliças se restringia à produção de fumo. Mas, para ficar no campo, André decidiu que o foco seria a produção orgânica. Ele procurou o escritório da Epagri, em Araranguá, e junto com os extensionistas a semente da agroecologia começou a germinar. A partir de então, a vida da família Oliveira seguiu um novo rumo e a propriedade começou a chamar a atenção pela qualidade das verduras colhidas.

André conta que foi uma decisão importante na vida dele, pois queria ficar na propriedade rural e produzir alimentos seguros, que chegassem à mesa do consumidor sem oferecer qualquer risco. “A produção orgânica não tem rejeição por parte do consumidor, é saudável e está conquistando cada vez mais mercados”, diz André, animado com a opção de cultivo.  

Extensionista de Epagri explica sobre espécies de cobertura do solo

A extensionista rural da Epagri Luciana Ferro Schneider acompanha de perto a produção orgânica.  Em toda visita à propriedade, ela mostra ao André, na prática, as melhores técnicas para produzir sem depender de produtos químicos. Existem várias soluções eficientes que conservam as propriedades do solo e garantem boas colheitas.

Luciana levou sementes de diferentes espécies de cobertura do solo para serem plantadas e avaliadas na propriedade. Ela explica que no sistema de plantio direto de hortaliças, o produtor precisa encontrar uma maneira de fazer o rolamento das espécies vegetais para em seguida plantar as verduras diretamente na palhada. André utiliza o rolo-faca, um implemento agrícola simples e prático para acamar a cobertura do solo.

A palhada é fundamental no sistema de plantio direto porque reduz o impacto das gotas de chuva, propicia conforto térmico para as plantas e promove reciclagem dos nutrientes. “Todos os nutrientes que estavam na aveia, uma das coberturas de solo utilizadas pelo André, acabam voltando para o solo e acumulando matéria orgânica”.

Os alimentos que preservam a saúde, como os produzidos no Sítio São José, estão em alta. A proteção dos mananciais de água e a preservação da biodiversidade atraem o olhar do consumidor. Em consequência às demandas do mercado, os produtores buscam a certificação orgânica. Para o André, o selo orgânico trouxe muitas vantagens. Além de vender as hortaliças para a cooperativa de produtores de Sombrio, ele entrega cestas de produtos diretamente ao consumidor. A opção pela produção orgânica trouxe renda, responsabilidade socioambiental e motivação para ficar no campo.