Revista Agropecuária Catarinense destaca morango semi-hidropônico

rac morangoO cultivo de morango está saindo do chão. Seguindo uma tendência que se tornou mais forte nos últimos anos, o sistema semi-hidropônico tem ganho a preferência dos produtores por conta de vantagens como conforto de trabalhar em pé, menor incidência de pragas e doenças, redução no uso de agrotóxicos, frutos uniformes e de boa qualidade, boa produtividade e alto retorno econômico. A reportagem de capa da revista Agropecuária Catarinense, editada pela Epagri, explica como esse sistema funciona e apresenta histórias de sucesso pelo Estado.

Outra matéria mostra o esforço da Epagri para aproximar o produtor rural do consumidor final – um encurtamento da cadeia de comercialização que traz vantagens econômicas, sociais e ambientais para todos os envolvidos. E a seção Vida Rural traz receitas para quem quer incluir as plantas alimentícias não convencionais (Pancs) no cardápio e melhorar a alimentação da família.

A RAC também apresenta dois novos cultivares de batata: SCS376 Joaquina e SCS377 Paulina. O cultivar Joaquina é indicado para cultivo em sistemas orgânicos e apresenta características como ciclo médio, alta produtividade de tubérculos graúdos e bom teor de matéria seca. O cultivar Paulina, indicado para cultivo convencional, tem ciclo precoce, alta produtividade e baixo custo de produção. Os dois lançamentos são resistentes à requeima, principal doença da batata que pode dizimar a lavoura em poucos dias.

Monitoramento sanitário de moluscos bivalves, cultivo de macroalgas e tilapicultura em tanques-rede são temas de artigos da seção técnico-científica da revista. Outro trabalho de destaque trata sobre o raleio químico da frutificação da macieira. Essa prática substitui o raleio manual e evita o problema de alternância de produção.

Para ler a revista, clique aqui.