Agroindústria de suínos é modelo de sucesso no Oeste

Suínos 03A nossa reportagem conta agora a história dos Helbing, tradicional família alemã que mora na linha Serra Alta, município de Ipumirim, Oeste Catarinense. Mas para falar da agroindústria de suínos que eles têm hoje e que é modelo de sucesso na região, é preciso voltar no tempo, na época do avô do atual proprietário. No passado, eles produziam embutidos coloniais apenas para os bailes da comunidade. Uma ideia que deu certo e não parou mais.

Suínos 02“Vim morar com meu avô quando eu tinha 11 anos de idade, no antigo salão de baile. A tradição era organizar o baile da linguiça. Então desde pequeno já trabalhava com produção de embutidos coloniais. Com o tempo, vimos a necessidade da legalização e formalização para crescer ainda mais e poder alcançar o empreendimento que temos hoje”, conta o atual proprietário Mauri Marciano Helbing.

Suínos 05Depois da formalização, eles ampliaram a linha produtos, passaram a investir na marca, nas embalagens e rótulos. Buscaram a visibilidade para serem cada vez mais lembrados pelos consumidores. Hoje o frigorífico também compra a criação de suínos de outras 30 famílias da região. “Muitos suinocultores que poderiam estar excluídos da atividade conseguem entregar a produção aqui no frigorífico dos Helbing. Ou seja, o empreendimento contribui com a sociedade local no sentido de manter a suinocultura de menor escala na região”, explica o extensionista rural da Epagri, Nédio Luís Patzlaff.

Suínos 06Ao longo dos anos e com recursos do programa SC Rural vieram melhorias na estrutura, como as câmaras frias e a caldeira, fundamentais para aumentar a produtividade. Um projeto estruturante que foi decisivo para a continuidade do negócio da família. De acordo com o proprietário Mauri, “a Epagri teve um papel fundamental, pois desde o princípio os técnicos estiveram juntos. A primeira planta industrial foram eles que montaram e toda a semana estavam assessorando nosso empreendimento”.

Suínos 04Ainda segundo o extensionista da Epagri, “antes, quando atuavam apenas na informalidade, havia somente a venda direta ao consumidor final, sendo que os grandes mercados e redes ficavam fora do alcance do empreendimento. Com a legalização, hoje ele atinge o mercado formal também, aumentando muito sua renda”.

Confira essa reportagem completa e outras produções no nosso canal de vídeos.