Plantas medicinais é um dos focos do trabalho de Itapiranga

itapiranga3Em 2017 a Epagri de Itapiranga realizou uma série de atividades com plantas medicinais. Segundo a extensionista social Alésia Inês Lauschner Gesing, o poder dessas plantas não se discute, se respeita. “Elas curam, acalmam e alimentam, ao mesmo tempo em que podem intoxicar e até matar. A identificação, a colheita, a dosagem, a forma adequada de preparo e de uso são alguns passos importantes a seguir para quem faz uso delas”. Partindo desse princípio, a extensionista vem coordenando diferentes ações para discutir o tema, no município.

Foram realizadas palestras, oficinas, visitas à unidade de bioativas para mostrar o funcionamento itapirangado relógio biológico e o uso adequado de plantas medicinais, entre outras atividades. Os públicos foram mulheres, escolares, escoteiros e agricultores. Alésia destaca que a utilização de plantas medicinais vem sendo passada de geração em geração e o poder de cura das plantas vem ganhando cada vez mais adeptos. “O saber popular aliado ao poder cientifico gera segurança e fundamenta nossas falas”, diz ela.

As atividades também contaram com o apoio das agentes municipais da saúde para manutenção da unidade de bioativas e da equipe da Secretaria de Agricultura, que atua junto ao Viveiro Municipal.