Inovação tecnológica na piscicultura em Campo Belo do Sul

campo belo do sul_dia de campo_pisciculturaA Epagri está estimulando a inovação tecnológica na piscicultura em Campo Belo do Sul, na região serrana. A intenção é divulgar tecnologia de produção de peixes como tilápias e jundiás em tanques-rede de açudes ou tanques escavados, que vêm se mostrando uma boa solução para as condições do município.

Para divulgar a tecnologia a Epagri promoveu um Dia de Campo sobre o tema, em 12 de dezembro. Compareceram 26 pessoas entre piscicultores, vereadores e lideranças de Campo Belo do Sul e de municípios vizinhos. A atividade aconteceu na propriedade de Altamir e Eliza Goedert, uma Unidade de Referência Técnica (URT). URTs são propriedades escolhidas pelos técnicos da Epagri para implantação de uma tecnologia e que depois serão utilizadas como modelos para os produtores da região.

Os organizadores do evento, José Luís Martins Alves e Nilcéia Rodrigues da Silva, ambos engenheiros-agrônomos da Epagri, acompanham os produtores Altamir e Eliza. Eles relatam que “o plano atual é de ampliação e investimento em mais tanques-rede, pois essa técnica se mostrou viável para produção, assim como facilitou o cultivo”.

O açude da propriedade tem área de 3,5 hectares. Ali a Epagri está analisando a quantidade máxima viável de tanques-rede que poderão ser cultivados por área alagada, visto que cada tanque-rede abriga em média 100 peixes por metro quadrado. Os técnicos agrícolas da Epagri, Rogério Vieira e Valberto Henckemaier, alertam que “há necessidade de espaço mínimo de 1,5 metro do fundo dos tanques, além de manter uma boa qualidade da água em termos de oxigênio dissolvido e baixa quantidade de amônia e nitritos, oriundos da decomposição de matéria orgânica do lodo”. Eles demonstraram aos piscicultores participantes como fazer as análises básicas da água no manejo dos viveiros.

“Devido seu clima mais frio, a região serrana necessita de tecnologias alternativas que possibilitem o cultivo de forma mais rápida e eficaz, especialmente utilizando espécies mais adaptadas como as trutas ou jundiás, ou acelerando seu crescimento para produção em até sete meses de cultivo por safra”, explica o engenheiro-agrônomo Aziz Abou Hatem, responsável na Epagri pelo Programa Estadual de Aquicultura e Pesca da Região Serrana.

Os tanques-rede utilizados em barragens e rios podem ser adequados ao cultivo em espaços controlados, como grandes açudes, com mitigação de riscos ambientais pelo controle de entrada e saída de água e tratamento dos efluentes. O Programa SC Rural apoiou a iniciativa da Epagri de desenvolver estas URTs, investindo em janeiro de 2017 R$ 4 mil na propriedade do agricultor Altamir Goedert. A viabilidade do projeto ficou provada pela sobrevivência de 90% dos alevinos no último inverno e o crescimento rápido à base de rações concentradas e balanceadas. Na engorda os peixes cresceram à taxa de 1,54% de seu peso ao dia. Esses resultados foram demonstrados durante o evento, através de práticas de biometria e análise de qualidade da água.

No final do evento, os piscicultores do município mostraram-se entusiasmados em criar, a partir de fevereiro, o Núcleo de Piscicultores de Campo Belo do Sul, integrando a Associação dos Aquicultores da Serra Catarinense (Aquaserra). A intenção é desenvolver a cadeia produtiva de pescados na região dos Lagos.