Jaguaruna e Sangão lideram a produção de mandioca no Estado

mandiocaDe acordo com dados do IBGE, Jaguaruna e Sangão lideram a produção de mandioca em Santa Catarina. A estimativa, segundo a Epagri, é que em torno de mil hectares são cultivados em cada município, sendo que a maior parte é destinada à produção de farinha.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Epagri de Tubarão, Emerson Evald, em torno de 60 famílias cultivam a mandioca em Jaguaruna. “É importante ressaltar que além desta produção, Jaguaruna tem hoje seis engenhos em operação e mais dois em construção”, enfatiza.

A boa safra deste ano deixou os agricultores satisfeitos. Juceli Antônio Coelho cultiva mandioca há 10 anos e se sente satisfeito com a atividade. De acordo com o agricultor, a safra deste ano superou a expectativa. “Foi mais que o esperado, tanto na produção quanto no preço, em média 20% a mais”, avalia. Juceli credencia a boa safra ao fator clima. “O tempo ajudou bastante, porque a qualidade da rama que plantamos foi a mesma do outro ano”.

O agricultor tem o perfil da agricultura familiar, atualmente cultiva 26 hectares, sendo parte da safra de dois anos. Nessa jornada ele emprega de quatro a cinco pessoas, sendo toda a plantação em terras arrendadas. Mesmo tendo que pagar a renda aos proprietários, Juceli avalia como compensador. “Da uma renda considerável, se eu fosse trabalhar de empregado, não conseguiria ganhar o que ganho aqui na roça, mesmo com todo o investimento em máquinas, considero compensador”, avalia.

Juceli vende a produção para o município de Imaruí e consegue um valor de R$ 500 reais a tonelada. O agricultor já está preparando as terras pensando na próxima safra, que deve iniciar o plantio já no fim do mês de agosto. Apesar de não esperar uma safra tão compensadora no próximo ano, como a de 2017, o agricultor pretende manter a mesma quantidade de terras cultivadas para 2018. “Acho que para o próximo ano deva baixar o preço, tem muita gente plantando este ano, e com esta enxurrada de mandioca o preço tende a cair, mas mesmo assim, vamos plantar”.