Seminário de turismo rural movimenta o planalto norte catarinense

SEMINÁRIO TRAF 2017 (1)Com o objetivo de promover o turismo nas propriedades rurais da região e integrar as pessoas que trabalham nessa área, Itaiópolis sediou o Seminário Norte Catarinense de Turismo Rural na Agricultura Familiar (TRAF), no dia 13 de junho, no Núcleo Histórico de Alto Paraguaçú. Alguns empreendimentos do Núcleo serviram de pontos de visitação orientada, que teve como objetivo proporcionar aos participantes uma experiência em “ser turista” e também em conhecer os bastidores de cada local, e sua preparação para o turismo.

Foram visitados cinco pontos usando a metodologia de extensão rural conhecida como dia de SEMINÁRIO TRAF 2017 (5)campo, em que os participantes circulam entre estações, o que movimentou o bairro. O grupo discutiu a lei do microprodutor primário voltada aos empreendimentos de TRAF, que possibilita que sejam feitas notas fiscais (eletrônicas) de produtor rural para os serviços de turismo.

Segundo avaliação dos participantes, o ponto alto do seminário foi a mesa redonda que apresentou as experiências de TRAF da região, contando com relatos dos municípios de Canoinhas, Mafra, Itaiópolis e Rio Negrinho, São Bento do Sul e Campo Alegre, que trabalham esse tema em conjunto. “Potencialidades que o meio rural sempre pode oferecer, mas foram subaproveitadas no Planalto Norte Catarinense e que agora começam a ser exploradas de maneira sustentável”, explica a extensionista da Gerência da Epagri de Mafra, Telma Tatiana Köene.

SEMINÁRIO TRAF 2017 (4)Para a organização, o evento, além de discutir temas importantes para o setor, surpreendeu os participantes, o que pode ser comprovado desde a recepção, com pessoas vestidas em trajes típicos poloneses e ucranianos, participantes de grupos folclóricos e ao som de músicas típicas. Os alimentos servidos e o som ambiente também remetiam a tradição cultural local. Houve ainda apresentação musical com gaita e violão no intervalo de almoço.

O TRAF, atividade apoiada fortemente pela Epagri, valoriza o estilo de vida, os costumes e o modo de produção das famílias rurais.  “Ou seja, a cultura do campo passa a despertar o interesse não só dos grandes centros urbanos, mas também dos municípios vizinhos. Propicia também o compartilhamento de tradições gastronômicas e culturais que poderiam cair no esquecimento, as quais são resgatas e valorizadas. O produtor rural passa a ser um empreendedor e prestador de serviços turísticos, trabalhando diretamente na conservação do patrimônio ambiental e cultural da região”, ressalta Telma.

A extensionista afirma que a relevância da atividade do turismo rural em áreas onde há a SEMINÁRIO TRAF 2017 (6)predominância da agricultura familiar – como é o caso do Planalto Norte Catarinense -, pode ser constatada na medida em que essa associação reverte em novas oportunidades de trabalho e renda. “Nesses casos, a economia local é ativada através da diversificação de novas formas de trabalho no campo. Na região estão sendo criados circuitos e rotas turísticas adequadas às tradições culturais e às condições naturais, fato que deve ser apoiado e estimulado”.

O seminário foi promovido pela Epagri, com recursos de Programa SC Rural, e teve apoio da Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Indústria, Comércio, Cultura e Turismo e do Conselho de Turismo de Itaiópolis.