Pesquisador da Epagri realiza palestra em conferência internacional sobre plantas inseticidas

leandro ribero africaO pesquisador do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da Epagri (Cepaf), Leandro do Prado Ribeiro, foi um dos três principais palestrantes em uma conferência internacional sobre plantas inseticidas, realizada na cidade de Victoria Falls (Zimbábue, África), de 6 e 9 de fevereiro. Em sua apresentação, ele mostrou os avanços na política de regulamentação e registro de produtos fitossanitários para uso na agricultura orgânica no Brasil e as oportunidades de comercialização de inseticidas botânicos, bem como os desafios enfrentados por esses produtos alternativos.

Leandro, que no evento foi o representante da América Latina, discutiu alguns avanços da pesquisa no que tange a detecção de novas fontes de inseticidas botânicos a partir de resíduos industriais. O pesquisador falou ainda sobre as inovações em procedimentos de formulações usando a nanotecnologia como uma abordagem para melhorar a eficácia e estabilidade de formulações comerciais.

Ele explica que a conferência teve como objetivo estabelecer um espaço para a discussão e leandro ribero africa 2apresentação dos mais recentes avanços na ciência de produtos naturais/plantas inseticidas e áreas relacionadas, além da discussão de questões básicas inerentes, como a segurança alimentar e a conservação do meio ambiente. Segundo o pesquisador, o evento foi uma excelente uma oportunidade para o estabelecimento de redes de pesquisa entre cientistas e instituições de diferentes partes do mundo. Durante a conferência, inclusive, foi criada a Sociedade Internacional de Plantas Inseticidas.

O evento contou com delegações de 18 países, em sua maioria composta por pesquisadores, estudantes de pós-graduação, organizações de agricultores, organizações não governamentais (ONGs) e representantes de indústrias do segmento. A organização esteve sob coordenação das universidades de Zimbábue e de Greenwich (Reino Unido) e contou com o apoio do Fundo de Apoio à Pesquisa da União Europeia, Agência de Pesquisa Alemã (DAAD), FAO/ONU e empresas e instituições da área.